Diferencial de desempenho de alunos das escolas militares: o caso das escolas públicas do Ceará

Diferencial de desempenho de alunos das escolas militares: o caso das escolas públicas do Ceará

Baixar (PDF)

O desempenho diferenciado dos alunos de escolas militares em exames de proficiência como Prova Brasil ou ENEM tem dado força à visão que estas escolas deveriam servir de referencial para as escolas públicas no Brasil. No entanto, esta atribuição direta do diferencial como efeito escola é questionável dado que seus alunos são diferenciados tanto por características familiares, como pelo acúmulo de conhecimentos (condição inicial), e o próprio processo de seleção que as escolas militares estabelecem. Este trabalho verifica como modelos tradicionais que tratam parcialmente estes problemas (matching com propensity scores e regressão linear multivariada) podem gerar estimativas muito infladas do efeito escola militar quando são aplicados utilizando-se apenas informações transversais. Estimativas mais precisas do efeito escola militar são propostas usando uma base de dados em painel dos alunos (militares ou não) que participaram da prova de matemática do Sistema Permanente de Avaliação da Educação do Ceará (SPAECE) no quinto e no nono anos do ensino fundamental. O modelo proposto controla o problema de autosseleção da escola militar, pareando alunos por seus desempenhos no quinto ano utilizando o método Coarsened Exact Matching (CEM), e estima o efeito escola militar para o desempenho no nono ano, com uma regressão linear multivariada que também tem o desempenho em matemática anterior como cofator. Verificou-se que a falta destes controles em modelos tradicionais pode majorar o efeito escola militar em até 2,7 vezes. Verificou-se ainda que, mesmo controlando para estes fatores, o efeito escola militar ainda é significante (18,6 pontos na escala SPAECE), sinalizando que estas escolas tanto selecionam bem como contribuem para um melhor desempenho dos alunos no ensino fundamental no Ceará.

Voltar ao Topo